Web
Analytics
Brasilia
21 Aug, Wednesday
27° C
TOP

Jovens do PSDB repudiam ataque de militante pro-Dilma

Por Rasheed Abou-Alsamh

BRASILIA, 18 de outubro, 2014 — Um grupo de 14 jovens ativistas do partido PSDB do Distrito Federal repudiou hoje o ataque que sofreram ontem no campus da Universidade de Brasília (UnB) por uma militante pro-Dilma quando fazia campanha para o candidato a presidência Aécio Neves do PSDB.

O grupo foi abordado a gritos por Sandra Leite Teixeira, uma professora do ensino médio da Secretaria de Educação do Distrito Federal, de 48 anos e divorciada, falando que Aécio Neves cheirava cocaína, e que ela era membro do Partido Comunista Brasileiro. Ela mandou os jovens saírem do estacionamento da UnB, e cuspiu neles varias vezes. A militante pro-Dilma também xingou uma das ativistas do PSDB, a chamando de “vagabunda” e de “loirinha de merda,” “deve ser puta!” ela gritou.

O site Brazil Post disse que a UnB informou que a Sandra Leite não tem nenhum vínculo com a instituição.

A ativista pro-Dilma tentou se candidatar nessas eleições para deputada distrital do DF pelo PCB, mas teve seu registro impugnado pelo Tribunal Eleitoral do DF no dia 6 de agosto de 2014, por falta de registro de filiação com o PCB.

Os ativistas do PSDB prestaram queixa contra a Sandra Leite ontem na 2ª Delegacia da Polícia Civil no final da Asa Norte, deixando uma copia do vídeo mostrando o ataque da militante pro-Dilma com a polícia, segundo Lucia Didia, secretária de movimentos sociais e estudantis da Juventude do PSDB-DF.

“Também falamos com o advogado do PSDB aqui em Brasília, e cada um de nos que estávamos lá vamos entrar com representações individuais contra a Sandra Leite depois das eleições,” Didia me disse numa entrevista.

Segundo ela a polícia do 2ª DP informou que tinha 31 registros de ofensas cometidas por Sandra Leite contra outra pessoas, e cinco registros feitos pela Sandra Leite de ofensas cometidas contra ela.

Vejam o vídeo que foi gravado do incidente aqui:

 

Juventude do PSDB lamenta episódio e a censura

“Nos infelizmente passamos por ocasiões muito tristes que foram divulgados pela internet principalmente, que foram agressões por militantes de partidos que não concordam com o que nos pensamos e tratam a gente como inimigos,” disse Didia no vídeo.

“Não foi a primeira vez que fomos agredidos, já sofremos outros tipos de agressões inclusive na UnB e outro episódio no Setor Comercial Sul,” disse Pedro Koenigkan, vice-presidente da Juventude do PSDB-DF no vídeo. “O Partido dos Trabalhadores seguidamente vem disseminando uma campanha de ódio e ataca adversários. Nossos pais lutaram pela democracia por 25 anos assim como o PSDB lutou pela democracia com o Tancredo Neves, Aécio Neves e outros.”

Leonardo Bicalho de Mendonça, secretário do meio ambiente e mobilidade urbana da Juventude do PSDB-DF, disse “a Universidade de Brasília, que foi um espaço criado para disseminar ideias e respeitar as ideias mais divergentes na sociedade, infelizmente tem sido alvo das manifestações de maior intolerância dessa campanha eleitoral. Não é a primeira vez que sofremos esse tipo de restrição, de ataque ao nosso direito de fala. As pessoas tem sido rude, as pessoas tem evitado que podemos transitar livremente dentro da universidade…ou chegar e dizer um pouco da nossa opinião, sobre o que nos achamos do nosso ponto de vista da política brasileira. Agora esse episódio que aconteceu ontem foi uma das coisas mais inaceitáveis que aconteceram não só dentro da Universidade de Brasília, dentro do Distrito Federal, mas dentro do Brasil como um todo. É um desrespeito com a juventude e com todas as pessoas que militam para o bem do Brasil.”

Finalmente, a ativista Juliana Groba, que foi xingada pela Sandra Leite como a “vagabunda loira”, falou que “nos como a juventude do PSDB, lutamos pela igualdade, pelo respeito e pela justiça.”

Comments (1)

  • Ana

    Cara Juventude do PSDB,

    A senhora Sandra Leite Teixeira está doente, vocês infelizmente não compreenderam a situação e só um familiar saberia mesmo dizer o que está acontecendo. Se vocês tiverem algum familiar com transtorno bipolar, saberiam o que a família tem passado. Pedimos encarecidamente para que retirem o vídeo do You Tube.

Sorry, the comment form is closed at this time.